Mostrando postagens com marcador Psicologia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Psicologia. Mostrar todas as postagens

Construção da personalidade

“Maturação é importante aspecto interno que influi no desenvolvimento”.

Apalavra personalidade origina-se do latim persona, nome que designava as máscaras usadas por atores no teatro romano antigo quando representavam seus papéis. Dava a conotação de algo externo à pessoa, referia-se a sua aparência. No decorrer do tempo, passou a referir-se ao interior da pessoa.

 

E comum ouvirmos as expressões: "Ele tem pouca personalidade" ou "fulano não tem personalidade" ou ainda "Ela é uma grande personalidade", referindo-se na verdade às características de autoafirmação, capacidade de liderança e decisão que as pessoas possuem ou que demonstrem ter.

Para os estudiosos científicos, personalidade é definida como unidade integrada de um ser humano. Allport registrou quase 50 definições do termo personalidade. Há os que entendem personalidade como a soma total dos comportamentos e atitudes de uma pessoa (V. B. Watson). Outros consideram personalidade num conceito de construção, integração de todas as características que a compõem (Allport).

 

Iremos admitir esta segunda orientação, definindo personalidade como o conjunto integrado, dinâmico e funcional de todas as características, físicas, mentais, espirituais, sociais e emocionais que formam a individualidade de uma pessoa.

1. Como entender a personalidade?

Personalidade não nasce pronta e acabada, mas evolui e se transforma segundo a vivência de cada um. Nossa personalidade é única, não existem duas pessoas iguais. A combinação dos diferentes elementos que a compõem, torna realidade as diferenças individuais, fator que tem justificado tantos conflitos pessoais, separações entre casais, pais e filhos, irmãos e amigos, a "incompatibilidade de gênios".

 

Na verdade, Deus nos fez diferentes uns dos outros para que nós enriquecêssemos através do respeito e compreensão, ingredientes raros numa convivência sem Cristo (1Co 13.4-5).

A personalidade é responsável por nossa maneira de ser e forma como nos ajustamos ao ambiente. Em condições normais, a personalidade seria construída no sentido da autorrealização. Há, contudo, muitas pressões do ambiente, situações desfavoráveis, falta da experiência pessoal com Cristo e desconhecimento do seu poder, que impedem o desenvolvimento pleno do ser. "Antes, seguindo a verdade em caridade, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo", Ef 4.15.

 

A construção da personalidade tem seu início com o nascimento. O bebê nasce com um potencial físico, inteligência e temperamento, "matérias-primas" para o desenvolvimento da personalidade.

 

2. Alicerces da personalidade

Nascemos um organismo biológico. O ser humano vai crescendo sob a influência de dois conjuntos de fatores: internos - hereditariedade e maturação; e externos - ambiente social e alimentação.

 

A hereditariedade consiste na herança individual que cada criança recebe de seus pais ao ser concebida: constituição do corpo, estrutura básica de inteligência e temperamento.

 

A maturação é um importante fator interno que influi no desenvolvimento, desde o nascimento até a vida adulta. É o relógio biológico de cada um de nós. Consiste no processo de mudança do organismo de dentro para fora. Determina a prontidão para aprender a falar, andar, correr etc. Todo o processo de aprendizagem é também influenciado por ele.

 

A nutrição na infância é um fator externo fundamental. Para um desenvolvimento saudável, a criança precisa receber alimentação adequada, espaço físico e afetivo e ar puro que satisfaçam suas necessidades básicas.

 

O ambiente social inclui família, escola, igreja e classe social. Dependendo do ambiente em que vive, a criança terá mais ou menos oportunidades educacionais para um crescimento saudável.

 

Situações adversas como fome, sofrimento, pressões psicológicas e falta de condições favoráveis mínimas, podem interferir no desenvolvimento do potencial herdado e comprometer o desabrochar de uma personalidade em toda a sua plenitude.

 

3. A construção da personalidade

Nossas experiências começam bem cedo na vida. Antes mesmo do nascimento, a criança poderá ser influenciada por reações positivas ou negativas; aceitação ou rejeição que a mãe produzirá frente à gravidez.

 

Desde o nascimento, através dos primeiros contatos com a mãe, a criança inicia seu processo de socialização e formação da personalidade. O bebê, recém-nascido, apresenta um conjunto de necessidades (alimento, abrigo, afeto etc.) que são atendidas por seus familiares.

 

A família dessa criança faz parte da sociedade, possui um quadro de valores que norteia comportamentos, tem uma determinada condição econômica e transmite para seus descendentes valores morais e espirituais. A família reproduz para a criança o meio em que vive.

 

Aqui, podemos refletir a importância de a família plantar as sementes dos valores cristãos no coração de seus filhos e orar por eles. Se a base da personalidade estiver fortalecida com valores cristãos, essas características farão diferença na dinâmica da personalidade adulta. "Instrui ao menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele", Pv 22.6.

 

A primeira etapa do desenvolvimento do indivíduo caracteriza-se no período de zero a um ano e meio, tempo esse em que a criança é fundamentalmente dependente. A criança necessita que sua dependência seja satisfeita para que ela possa cumprir a tarefa de socialização que tem para esse período que é a de formar uma relação afetiva, adquirindo o sentimento de segurança.

Aos poucos a criança começa a perceber e agir conforme o que internalizou do que deve ou não fazer e adquire a noção de normas. As primeiras noções de moralidade surgem aos quatro e cinco anos de idade. Mesmo que ela esteja ainda se desenvolvendo, entenderá essas normas de moral como restrições (pré-moral) que lhe darão a noção de castigo.

 

É dever dos pais, nessa idade, instruir as crianças quanto às atitudes, aos hábitos e aos costumes, respeitando sua capacidade de compreensão das coisas. Ela irá adquirindo consciência da importância dos valores e normas. Assim, fortalecerá gradativamente e de maneira consistente os traços de seu caráter.

 

A palavra caráter procede do grego "charassein" ou "charasso", significando "coisa gravada" ou "eu gravo". Caráter é o conjunto de qualidades fundamentais da personalidade, segundo René Le Senne, caracterólogo, o caráter é formado por traços com o sentido moral e ético.

 

Assim sendo: honesto, desonesto, afável, indelicado, correto, perseverante, inconstante e trabalhador, revelam traços de caráter porque são socialmente aceitos ou repudiados e são tidos como certos ou errados.

 

A personalidade cristã possui traços de caráter cujo modelo é Cristo. Influenciados pelo Espírito Santo, produzimos frutos que refletem nosso caráter cristão (Gl 5.22).

 

Para nós, crentes em Jesus, o grande desafio é viver de tal maneira que a presença de Deus seja constante em nossas vidas para preservarmos nossa integridade cristã e crescermos cada vez mais no amor e na graça (l Ts 5.23 e Pv 4.18).

 

Ao atingir a idade escolar, a criança amplia o número de contatos. Faz parte de um grupo diferente do familiar. Consequentemente, vai aumentando sua capacidade mental para compreender o mundo que está a sua | volta bem como sua capacidade de percepção, imaginação e criação, fazendo com que desenvolva histórias mescladas com realidade e fantasia.

| Neste momento, compreender, orientar, disciplinar a criança com base na orientação cristã, será altamente proveitoso para a estruturação formativa da sua personalidade cristã (Pv 3.11- 12). A disciplina bíblica é fundamentada no amor (2Tm 3.14-15).

 

Devemos administrar cada momento do crescimento de nossos filhos, respeitando e acompanhando suas dificuldades. Elas nos sinalizam suas necessidades que são também oportunidade de crescimento. Encarar de forma positiva este processo, valorizando o que a criança é capaz de fazer bem e mostrar em que ela pode melhorar, é a maneira mais saudável de fazê-la crescer em todas as áreas de sua vida.

O período da adolescência é marcado por extensa reorganização da personalidade. O meio em que a criança vive, deixa de encará-la como tal, mas, ainda, não lhe confere plenamente o status de adulto em suas funções e papéis. E marcante e visível o desenvolvimento em todas as áreas:

-Físico e fisiológico;

-Emocional: a maneira de lidar com os sentimentos;

-Vocacional: escolhas, trabalho, estudo;

-Espiritual: elaboração e preocupação com o sagrado.

A preocupação principal do adolescente é redefinir-se como pessoa. Corpo, mente, organização psíquica e seus interesses estão, agora, voltados para a busca da própria identidade. Dependendo do temperamento, grau de conflito em relação aos valores vivenciados quando criança e a maneira como interpreta sua realidade, enfrentará os desafios com maior ou menor grau de segurança.

 

Nessa fase, o adolescente estará fortalecendo seu autoconceito, desenvolvendo sua autoestima, e o sentimento que tem em relação a si mesmo e à sua capacidade, fazendo com que possa atuar satisfatoriamente na sociedade.

 

Se neste momento da sua vida, o adolescente desenvolver autoconceito rebaixado, não terá condições de manter um bom relacionamento com as pessoas, nem tampouco realizar-se plenamente. O jovem cristão deve ser incentivado a fortalecer sua vida espiritual dependendo do poder do Espírito Santo para ajudá-lo a perceber realisticamente seu ambiente, entendendo a importância de desenvolver sua capacidade de ação independente, mas, ao mesmo tempo, permitindo que o Senhor Jesus esteja dirigindo todas as grandes escolhas de sua vida.

 

4. É possível mudar a personalidade?

À medida que a pessoa vai se tornando adulta as características da personalidade vão se fixando, mas através da flexibilidade, que é uma das características de nossa personalidade é possível mudar alguns aspectos.

Para nós, os crentes, a Bíblia Sagrada é o grande manual, nela encontramos como manter uma personalidade cristã preservada em suas melhores características e também boas influências para melhorá-la. Grandes homens da Bíblia tiveram suas personalidades influenciadas pelo poder do Espírito Santo em suas vidas: Moisés, no Antigo Testamento, Pedro e Paulo, no Novo Testamento e muitos outros.

Aprimorar aspectos de nossa personalidade, como sugere Sullivan "um processo contínuo de adaptação". Na Bíblia, "A vereda do justo é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito", Pv 4.18.

Sem dúvida alguma, lendo a Palavra de Deus e permitindo que o Espírito Santo trabalhe em nós através de um contato perfeito e verdadeiro de comunicação com o Pai, podemos ser modificados e aprimorados, da mesma maneira como os exemplos mostrados na Bíblia. Pedro chegou a dizer, "Fomos gerados de novo, totalmente modificados" (l Pd 1.3 e Ef 4.12-13). "Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo."

Artigo: Psicóloga Sonia Pires | Ensinador Cristão, ano 2 – n° 8 | Reverberação: Portal Cristão Alerta

Compartilhar:

VEJA PUBLICAÇÕES EM DESTAQUES ⤵️ :

️ RECEBER NOVIDADES DO PORTAL CRISTÃO ALERTA
👍 Cadastre grátis seu e-mail para que possamos lhe enviar as novidades e lhe avisar sempre que o Portal Cristão Alerta publicar novos Estudos Bíblicos.
👍 Passos:
1) Digite seu MELHOR e-mail e clique em CADASTRAR;
2) Em seguida abra o seu E-mail clique no link de confirmação que lhe enviaremos, afim de confirmar seu cadastro.

De PCA